Alimentação para idosos: vitaminas e hábitos saudáveis em Clínicas Geriátricas

A alimentação para idosos é um tema de grande relevância, não só pelo aumento dessa população no Brasil, mas também pela conscientização do envelhecimento saudável!
A intitulação pessoa idosa é usada, no Brasil, para se referir às pessoas com mais de 60 anos. Essa população cresce a cada ano em nosso país, por isso torna-se fundamental desenvolver ações de saúde. De acordo com o manual Alimentação saudável para pessoa idosas feita pelo Ministério da Saúde: “Entre os cuidados diários com a saúde que contribuem para um ritmo favorável de envelhecimento está a alimentação saudável.”
Por isso é indispensável ter rotinas saudáveis inclusive em idades avançadas. Esses hábitos adotados podem conferir maior conforto, segurança e autonomia no dia-a-dia do idoso, gerando impacto positivo na autoestima.  Aqui falaremos sobre alimentação, porém o bem-estar físico e mental como um todo influenciam na saúde dos idosos. Para começarmos a entender os elementos essenciais para uma boa alimentação na terceira idade, é fundamental compreender a importância das vitaminas nessa fase da vida!

Quais vitaminas são indispensáveis na alimentação para idosos?

O envelhecimento faz parte do ciclo natural da vida, caracterizada por modificações funcionais e bioquímicas que influenciam na nutrição. O risco nutricional na terceira idade contribui, de forma significativa, para incapacidade física, morbilidade e mais precisamente desnutrição. Mostraremos quais são esses nutrientes e em quais alimentos encontrá-los.

Vitamina D

A vitamina D é um complemento necessário na vida dos idosos, pois ajuda no metabolismo e na absorção de cálcio. É um suplemento relativamente barato e importante sob diversos aspectos.
Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, a carência desta vitamina em centros urbanos é preocupante. Valores inadequados de vitamina D foram encontrados em 85% dos idosos que vivem em São Paulo. Esse valor se agrava por todo o país, aumentando gradativamente o número de idosos atingidos. Essa mesma pesquisa mostra que a suplementação desta vitamina em níveis adequados, reduz em 26% a fratura de quadril.

Outra pesquisa feita pela Universidade de Aarhus, na Dinamarca, mostram que níveis de vitamina D e cálcio balanceados, aumentam em 9% a expectativa de vida da população idosa.
Portanto, o consumo de vitamina D é obrigatório para a prevenção de doenças e para a fortificação óssea do idoso. Para alimentação dos idosos é importante que se tenha os seguintes alimentos:

  • óleos de peixe
  • frutos do mar
  • gema de ovo
  • leite
  • fígado
  • cevada
  • salmão
  • sardinha

São poucos os alimentos que fornecem de fato vitamina D, mas absorção nos alimentos não é tão eficaz quanto a exposição a luz solar. Recomenda-se que o idoso fique, ao menos 15 minutos, com os braços e pernas expostos a luz solar.

Potássio

Encontrado em quase todos os alimentos de origem vegetal, o potássio é outro nutriente rico para a saúde dos idosos. Crucial para a função cardíaca, esse mineral tem como função a contração dos músculos esqueléticos. É benéfico para uma digestão normal e é de grande importância para o funcionamento adequado das células.

Uma alimentação rica em potássio é deveras boa para a saúde do idoso, mas ainda assim é preciso ter moderação. Com o envelhecimento, os rins possuem menos eficiência na eliminação deste mineral, podendo contrair hipercalemia. Então é necessário manter o equilíbrio entre potássio e sódio, balanceando os níveis destes minerais no corpo. Você pode encontrar o potássio nos seguintes alimentos:

  • Bananas
  • Sucos cítricos (Limão e Laranja)
  • Abacate
  • Melão
  • Tomate
  • Batata
  • Feijão
  • Salmão
  • Bacalhau

Seja qual for a idade, consulte um médico antes de ingerir suplementos de potássio.

Ferro

O ferro é responsável pelo fornecimento de energia e eficaz na formação de hemoglobinas. Segundo a pesquisadora Sandra Fátima Menosi Gualandro, em um artigo publicado pela Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia, mais de 10% da população acima de 65 anos, possui anemia. O quadro de idosos com anemia tende a crescer, mas pode ser facilmente reversível. Contudo, para que isso aconteça é preciso que a alimentação para idosos mude. A reposição do ferro em si já é um tratamento para combater doenças como anemia.

Existem dois tipos de ferro, eles são: Heme e não heme. Os categorizados hemes, são aqueles provenientes de alimentos com origem animal e os não hemes são alimentos de origem vegetal. Os alimentos ricos em ferro são:

  • Carne em geral
  • Gema de ovo
  • Melado
  • Banana
  • Leguminosas
  • Verduras verde escura (Agrião e Espinafre)
  • Cerejas

Para melhor absorção do ferro é necessário o consumo de vitamina C, enquanto alimentos ricos em cálcio, ao contrário, o reduzem.

Cálcio

Um dos mais importantes minerais para o organismo humano, presente nos dentes e ossos. O cálcio estimula a circulação sanguínea e em conjunto com a vitamina K, auxilia na coagulação do sangue. Esse mineral também impacta nos níveis do sistema nervoso, ajudando no processo de contração e relaxamento dos músculos.

O cálcio pode ser encontrado em vários alimentos, dentre eles estão:

  • Leite e derivados
  • brócolis
  • agrião
  • couve
  • espinafres
  • alface
  • figos
  • aveia
  • batata-doce
  • amêndoas

É adequado manter bons níveis de cálcio para a prevenção e tratamento da osteoporose. Doença bem presente na terceira idade, devido à má absorção deste nutriente. A fortificação de cálcio nos ossos é muito importante, já que quedas são bastante comuns nesta fase da vida.

Zinco

O zinco é mais um mineral indispensável na alimentação do idosos. Responsável por várias reações dentro do corpo como: a integridade do sistema imunológico, cicatrização, crescimento de unhas, dentre outros.

Estudos em países Latino Americanos e nos Estados Unidos mostram que independente da idade é recomendado a ingestão de zinco. Pois sua deficiência pode provocar inúmeras complicações no organismo. Dentre elas anorexia e a perda do paladar, males que são bastantes prejudiciais nesta fase da vida.

Você pode encontrar o zinco nos seguintes alimentos:

  • Carnes Vermelhas
  • Fígado
  • Ostras
  • Aves
  • Peixes
  • Leite
  • Ovos
  • Cereais integrais em geral

Para todas as vitaminas apresentadas é imprescindível o acompanhamento médico, pois uma dieta balanceada varia para cada pessoa, o consumo de vitaminas em excesso pode ser prejudicial a saúde.

Orientações para favorecer uma alimentação saudável

A alimentação não está apenas ligada no alimento em si, mas também a rotina e cuidados no preparo da refeição.

É importante levar em conta algumas medidas para tornar o momento das refeições mais agradável. Por isso, algumas atitudes devem ser refreadas na terceira idade.

Cuidado na compra dos alimentos

Durante a fase de compra dos alimentos temos que ter cuidado com os produtos adquiridos, pois deve-se escolher aqueles:

  • De procedência segura
  • Que estejam dentro do prazo de validade
  • Conhecer o valor nutricional do alimento
  • Compreender a forma correta de armazenamento do alimento adquirido

Essas observações devem ser feitas na presença do idoso que irá consumir o alimento. A inclusão é importante, pois dá autonomia e faz com que o idoso adquira bons hábitos ao escolher os alimentos.

Cuidados com armazenamento dos alimentos

Armazenar alimentos nos locais corretos e de fácil acesso são exemplos que estão ligadas a saúde do idoso. Um exemplo é: guardar alimentos em locais de dificuldade para o idoso, como armários altos, pode resultar em quedas e outras complicações. Por isso é importante ter em mente alguns hábitos ao armazenar os alimentos. Dentre eles:

  • Serem organizados em locais de fácil acesso
  • Limpar a própria embalagens que contenham sujidades
  • Guardar cada alimento em local que ajude a manter a integridade dos produtos

Cuidados com a higiene pessoal e durante o manuseio de alimentos

Devem ser adotados cuidados rigorosos tanto na higiene pessoal quanto ao manusear os alimentos. Pois, isso ajuda a prevenir a contaminação e evitar doenças transmitidas por alimentos (DTA).

Lavar as mãos com frequência é primeiramente fundamental no manuseio dos alimentos que serão consumidos. Assim como higienizar os utensílios que serão usados no preparo dos alimentos.

Medidas associadas ao consumo das refeições

Um ambiente mais adequado para refeições tem impacto positivo na autoestima do idoso, refletindo no prazer que se tem a mesa. Ajudar o idoso a se sentir mais disposto a se alimentar já é um grande passo.

Fazer refeições em locais agradáveis com uma companhia, estimula o entrosamento social. Esses hábitos ajudam em vários quesitos a pessoa idosa. Ter companhia proporciona prazer ao idoso, favorecendo o apetite, além de fazer com que o idoso se preocupe no tipo de alimentação a ser servida.

É importante que durante o dia os idosos se alimentem de três em três horas. Estimule que seja feito as seguintes refeições: desjejum, almoço e jantar e dois lanches saudáveis. Isso ajuda no fornecimento necessário dos nutrientes e vitaminas, estimulando melhor funcionamento do organismo.

Outras medidas também devem ser associadas nas refeições, como por exemplo:

  • Desestimular o uso do sal e açúcar à mesa
  • Orientar a pessoa idosa a comer devagar, mastigando bem os alimentos.
  • Cuidar bem da saúde bucal
  • Estimular o consumo de água durante as refeições

Alimentar-se com prazer motiva os idosos a consumir mais refeições. Torne isso um hábito regular e garanta uma vida melhor!

Blog LifeLink

Compartilhe esta notícia!