Como a psicologia pode ajudar um idoso?

Com o envelhecimento, a pessoa se depara com mudanças em diferentes aspectos de sua vida. É importante saber lidar com essas alterações para encontrar bem-estar nessa nova etapa.

Engana-se quem pensa que, durante a velhice, não existem objetivos a ser alcançados e desafios a ser superados. Cada vez mais a psicologia vem trabalhando para promover o bem-estar do idoso, auxiliando no enfrentamento das mudanças que acompanham o processo de envelhecimento.

Nesta fase acontecem uma série de alterações emocionais, psíquicas, físicas e sociais. A forma com que o idoso lidará com essas questões contribuirá de forma positiva ou negativa para a sua qualidade de vida. Porém, nem sempre é fácil assimilar, trabalhar e aceitar todas as transformações sozinho.

Principais desafios do envelhecimento

Chamada por muitos de a melhor idade, a velhice pode proporcionar ganhos e ser realmente produtiva, fazendo com que o indivíduo desfrute da vida e do tempo de forma saudável e com qualidade. Por outro lado, conflitos e crises podem ser desencadeados por alguns fatores comuns dessa fase da vida, tais como:

  • mudanças físicas e orgânicas
  • processos de luto
  • aposentadoria
  • condição de dependência
  • perdas cognitivas
  • dificuldades de relacionamento
  • perda de papéis sociais

Se esses fatores não são trabalhados da maneira adequada, o idoso poderá desenvolver quadros depressivos, transtornos de ansiedade, vícios, entre outros problemas emocionais e psicológicos.

A psicologia a favor do idoso

Para que o indivíduo se abra às novas possibilidades oferecidas por essa fase da vida, é fundamental que ele entenda as perdas e os ganhos e que reaja positivamente às mudanças ocorridas com o processo de envelhecimento.

O psicólogo está preparado para orientar o indivíduo neste processo de descoberta e de adaptação, ajudando o idoso a enfrentar de maneira satisfatória os desafios relacionados à velhice.

Muitas vezes, o processo normal de envelhecimento é afetado por doenças crônico-degenerativas. Nesses casos, além de prestar atendimento ao idoso, promovendo a estimulação cognitiva, o psicólogo oferece orientação familiar. Dessa forma, o entorno pode contribuir fortemente para melhorar a qualidade de vida do indivíduo e a sua socialização.

Vale ressaltar que o apoio da família é fundamental para que o idoso se sinta acolhido e para que se preserve o sentimento de pertencimento. Esse suporte certamente motivará o idoso a manter boas expectativas e a reagir de forma positiva.

mundopsicologos.com

Compartilhe esta notícia!